Texto e fotografia de Maria Cristina Recchia

Depois de tanto planejar uma visitinha como turista em Bari com minha família, finalmente conseguimos dedicar algumas horas e ficamos surpresos com tamanha transformação: uma cidade acolhedora que vem se renovando a cada ano!

Descrever Bari, a capital da região Puglia, é uma missão muito importante e aqui vou deixar um “breve” resumo pois Bari é grande como toda metrópole e fonte de muita história antiga.
Desde que aqui cheguei , Bari sempre foi referência de grandes hipermercados, indústrias, hospitais, shoppings, meios de transporte e tudo isso me fez esquecer um pouco o seu lado turístico, porém, nesse rápido passeio e com olhar de turista, pude constatar quantas riquezas possui. A extensa orla com seus lampadários, o castelo, a Basílica, museus, igrejas, catedrais e teatros enfeitam a cidade oferecendo ao visitante uma Puglia rica em beleza, arte e história.

Sem contar que a presença do aeroporto, porto e o serviço ferroviário oferecem interligações para toda a Itália.

Muitas das tradições da Puglia tem como berço Bari: orecchiete (macarrão que parece orelhinhas), riso patate e cozze (arroz, batatas e mariscos) , focaccia barese e muito mais.

Agora vou enriquecer os detalhes do nosso passeio animando quem colocar Bari no roteiro: Saimos de Polignano a Mare as 16 horas no dia primeiro de maio, quando a claridade do dia tem maior duração. O pôr do sol teve início por volta das 19 horas.

A melhor forma para visitar Bari seria de trem ou de carro. Para quem vai de carro eu recomendo deixar o carro no estacionamento do Park & Ride Pane e pomodoro localizado no Lungomare de Bari, um pouco distante do centro.

É um estacionamento grande que fica na entrada de um parque a beira mar onde se tem o privilégio de poder pegar um ônibus grátis que faz uma parada dentro do estacionamento. Numa placa próxima à máquina onde é feito o ticket encontra-se os horários e os destinos dentro da cidade grande.

Não tem portaria e ninguém tomando conta dos carros. Somente uma barreira antes de pegar o ticket.

Ao estacionar o carro providencie o pagamento do ticket em uma das máquinas instaladas na entrada do local onde também é o ponto de parada do ônibus (grátis) que irá até o Lungomare “Araldo di Crollalanza”. A roda gigante que aparece na foto foi retirada do local.

Descendo nesta parte do Lungomare comece uma longa caminhada passando pelo mercado de Peixe, porto antigo, Teatro Margherita que é um dos históricos teatros da cidade.

O Teatro Margherita foi construido entre 1912 e 1914 e atualmente está sendo reformado para sediar um futuro museu de arte comtemporânea. A estrutura do Teatro foi progetada em “stile Liberty” estilo libero. Foi o primeiro edifício construído em Bari com cimento armado e o único na Europa construído sobre palafitas porque é circundado pelo mar.

Seguimos para a entrada do centro histórico prestando atenção nas placas de indicações e seguindo o fluxo de pessoas tomando cuidado com bolsas e celulares e evitando ruelas vazias.

Para ajudar criei este mapa indicando o centro histórico com alguns pontos turísticos de Bari dos quais passamos.

Fazia muito tempo que não visitava a cidade e ela estava completamente lotada, principalmente porque faltavam poucos dias para a festa do padroeiro da cidade: San Nicola!

Muitas luminárias já haviam sido colocadas e uma feirinha típica próxima a entrada do centro histórico criava um certo tumulto.

Já na entrada do centro histórico uma pequena área cercada para proteger os restos da antiga “Via Appia-Traiana” estrada antiga que ligava o Império Romano a Brindisi, de onde embarcavam navios para a Terra Santa.

A partir deste ponto entramos em uma estrada que leva à cidade velha. Muitas pessoas iam e vinham para todas as partes e o aromas da culinária barese é de deixar qualquer um com fome mas como meu alvo era a Basilica di San Nicola, resistimos a tentação e seguimos adiante passando por algumas praças com vários restaurantes e pequenas lojas, ruas estreitas e arcos com seus quadros e mesas enfeitadas com flores e velas sendo oferecidas para a Madonna e outros Santos.

Construções muito antigas com pequenos terraços enfeitados com vasos e flores em uma estrada de pedra consumida pelo tempo.

Nossa chegada à grande Basilica di San Nicola foi triunfal e fiquei impressionada com tamanha beleza e riqueza. Ela se encontra no coração da cidade velha e a poucos minutos do Porto marítimo.

É um dos exemplos mais significativos da arquitetura românico pugliese. Não se tem uma fonte certa da data de sua construção e muitos estudiosos afirmam ter ocorrido entre 968 e 1.071 durante a dominação normânica.

Riquíssima de história e obras de artes antigas principalmente de esculturas. A Basílica conserva as relíquias de San Nicola na cripta subterrânea. San Nicola é venerado por cristianos e ortodoxos principalmente da Igreja Ortodoxa Russa. A basilica recebe muitos peregrinos do mundo inteiro para venerarem San Nicola.

Deixamos a Basílica e seguimos pelas vielas da cidade velha até encontrar uma, se assim se pode chamar, de lanchonete que fritava polenta na hora e… jamais comi na minha vida uma porção de polenta frita tão gostosa como aquela.

Nos deparamos com a grande Catedral di San Sabino e sua altíssima cúpula, externamente era muito bonita, mas não entramos porque ainda queríamos conhecer outros lugares.

A “Catedral di San Sabino” é reconhecida pela beleza em estilo românico pugliese. Recomenda-se a visita com um guia turistico.

Saindo pela estrada que dá de frente para a Catedral e já na saída do centro histórico, encontramos o imponente “Castello Svevo di Bari” que nos presenteou com um magnífico pôr do sol o que resultou em lindas fotografias.

O Castello Svevo di Bari foi construído no século XII. Depois de destruido em 1.156, foi reconstruido entre 1.233 e 1.240 sendo considerado uma das mais interessantes fortificações da região por sua posição estratégica. Em seu interior são organizados vários eventos. Infelizmente era tarde e achei melhor dedicar uma visita ao Castello em uma outra ocasião.
Assim deixamos da Bari Vecchia, que é mais a parte histórica, e seguimos em direção a Bari Nova entrando na Via Corso Vittorio Emanuele, uma grande e larga estrada com restaurantes, hotéis, lojas e muito movimentada.
A visita em Bari se conclui na Via Sparanno , uma rua para pedestres com várias lojas de grifes, restaurantes e bares e que termina na estação ferroviária Central de Bari.
Encerramos nossa caminhada voltando para o lungomare onde pegamos o ônibus que nos levou novamente ao Park & Ride Pane e Pomodoro onde deixamos estacionado nosso carro.
Opções do que se pode visitar em Bari:

Bari nova:
• Politeama Margherita
• Piazza del Ferrarese
• Mercato del Pesce
• Corso Vittorio Emanuele e Via Sparano
• Corso Cavour e Teatro Petruzzelli
• Palazzo dell’Acquedotto Pugliese
• Lungomare
• Corso Vittorio Veneto

Bari Vecchia (velha):
• Porto vecchio
• Piazza Mercantile
• Via Venezia e Lungomare Imperatore Augusto
• Basilica di S. Nicola
• Museo Nicolaiano
• Castello Svevo ou Normanno

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *